Freela e Startup

15 Dicas para elaboração de currículos (para criativos)

Antes de mais nada, é importante ressaltar que dicas de elaboração de currículos existem aos montes na internet. Como não sou profissional em Seleção de Pessoal e sim designer, esse texto aborda dicas preciosas para currículos relacionados à nossa área criativa. Ou seja, se você é designer, publicitário, ilustrador, estudante ou qualquer profissional de criação e pretende enviar seu currículo à agências ou escritórios, o texto é pra você! Vai ajudar muito! =D

Trabalhei algum tempo como coordenador de equipe, e uma das minhas tarefas era selecionar currículos. Juntamente com os profissionais de RH – especialistas em contratação – pude adquirir algumas “manhas” e perceber erros graves. Me deparei com currículos mal feitos e outros currículos bem elaborados. Como eu precisava selecionar profissionais criativos, acabava vendo de tudo!
Então, vamos aos 15 pontos que você precisa se atentar ao elaborar seu currículo:

1) Lembrando das regrinhas básicas, seu currículo é o seu primeiro contato com o recrutador, portanto, uma boa aparência faz toda diferença. Mas tome cuidado! Nada de poluir ou inventar moda. Se fizer algo exagerado pode ser eliminado de primeira! No momento que abrem seu e-mail, já está VALENDO!

2) Cuidado com a apresentação. Textos enormes também podem não ser lidos. Seja sucinto em tudo! Faça uma breve apresentação: Quem é você, sua área, formação e objetivo.

3) Especificar a área pretendida é essencial. Quer atuar como freelancer? Parceiro? Trabalhar em exposição? Trabalho voluntário? Quer integrar a equipe/empresa? Enfim, seja claro nesse ponto. Se tiver uma empresa, escritório ou coisa do tipo, então liste interesses. Ou seja, áreas ou tipos de projetos que poderá oferecer.

4) Organize-se! A estrutura do currículo manda muito! Apresentação, objetivo, especialização, experiência, prêmios. Divida tudo. Tente seguir uma lógica. Não misture informações e nem seja redundante.

5) Diferente de currículos “comuns”, o nosso, da área criativa, deve vir sempre acompanhado do portfólio. Se não tem site ou domínio próprio, crie em algum lugar. Existem diversos sites gratuitos. A não ser que a vaga seja para iniciantes e para profissionais sem experiência, tudo bem. Mas se tiver trabalhos acadêmicos, experimentais ou de própria autoria, já estará a frente de alguns candidatos.

6) Seja coerente e alinhe as experiências com a vaga pretendida. Se antes da sua formação ou área de atuação, você trabalhou como vendedor, assistente de alguma coisa, etc; não tem porquê colocar no currículo. As informações devem estar de acordo com o objetivo da vaga. Uma dica é colocar o link de seu Linkedin.

7) Envie seu currículo preferencialmente em JPEG ou PDF. Qualquer computador abre JPEG, e quase todo mundo possui leitor de PDF. Se possível envie os dois. O PDF é ainda melhor, pois se você colocar links de seus trabalhos em um PDF interativo, facilitará a vida do avaliador (pense que ele terá que ver diversos currículos e quase sempre estará com pressa, e pode ser que ele não queira digitar endereços enormes). E detalhe: não é todo leitor que permite a seleção de textos para copiar.

8) Falando de links, mantenha sempre os seus atualizados e teste-os antes de enviar. Link errado é currículo incompleto!

9) Se for enviar em PDF, tome cuidado com as fontes! Se possível, quebre-as. Existem computadores e leitores que não interpretam todas fontes em PDF´s. E como nós adoramos tipografias “diferentes”, é um ponto de atenção. Quando um computador não reconhece uma fonte, ele destrói a diagramação. Itens saem do lugar e vira uma bagunça!

10) Cuidado com arquivos pesados! Vou bater na tecla de novo! O avaliador não tem tempo para ficar baixando arquivos imensos. Tente deixar seu arquivo com poucos MBs. Seja prático. O currículo do seu concorrente de 250k feito em Word pode estar sendo lido antes do seu. Pronto, você perdeu a vaga.

11) Não envie anexos de projetos. Pode parecer absurdo para alguns, mas eu já recebi vários arquivos (desde PSD´s até arquivos Indd!). Isso não se faz. Além de não ser profissional, é um desrespeito com seus clientes, o e-mail fica com anexo enorme, e pode estar testando a paciência do avaliador! Isso também vale para certificados. Apenas se pedirem. Enviar uma apresentação com seus projetos tudo bem, mas enviar o arquivo do cliente, não.

12) Diagrame bem! Somos um blog de design, então essa dica não poderia passar batido! Independente do software que utilizar, separe os tipos de informações. Use grids, preocupe-se com a legibilidade, use boas fotos (há profissionais que não recomendam, mas se for usar, nada de baixa definição). Pense na hierarquia de informações, cores, tamanho e peso da tipografia. Explore os recursos que o design oferece.

13) Cuidado com autoavaliações como: Expert em Photoshop. Se for chamado para um teste simples e você não o fizer bem, a comprovação será a de que não foi honesto. Outro item é o uso demasiado de advérbios de intensidade, como: Tenho MUITA experiência, sou um profissional BASTANTE dedicado. QUASE não erro em minhas atividades. Algumas competências são vistas e comprovadas no dia a dia. Você pode descrever que é comunicativo, que trabalha em equipe, mas sem exageros. Nada de prepotência.

14) Não saia disparando e-mail para tudo que é lugar. Procure se informar e, se possível, ajuste seu currículo para cada vaga. Pense bem, se enviar um currículo com objetivo diferente da vaga, pode-se concluir que você é uma pessoa desatenta. Menos um ponto pra você.

15) Currículos “diferenciados” são praticamente normais na nossa área. Mas se estiver na dúvida do que criar, faça o básico! Existem diversos modelos na internet. Inclusive nosso blog tem muita coisa legal (clique aqui). Eu mesmo usei um deles e estou satisfeito! É limpo, leve e objetivo. Para mim, isso basta. Em uma página tem tudo que precisa ter.

Agora, vamos as regrinhas básicas (aquelas que comentei que tem aos montes na internet):

1 – Erros gramaticais – Um a cada quatro currículos segundo a CATHO possui erros gramaticais. Isso pode simplesmente destruir toda sua arte que passou horas desenvolvendo. Revise seu conteúdo. Se possível peça outra pessoa para ler. Às vezes ficamos trabalhando tanto num projeto que não enxergamos coisas bobas, como um acento, pontuação ou erros mais graves.

2 – Área de atuação – Não coloque formas de atuação muito amplas. Ex. Pretendo atuar na área de criação, como designer, profissional de marketing, publicitário, redator). Se a vaga pretende contratar um profissional específico, com certeza não será você. Alinhe o objetivo profissional com a oportunidade em questão.

3 – Dados corretos e atualizados. Dados de endereço (físicos ou virtuais) e contatos devem sempre estar atualizados. Imagine que alguém goste de seu currículo, mas na hora de te ligar o telefone não chama ou e-mail volta… Perdeu. Já era.

4 – Sucinto e claro – Muita gente pensa que, quanto mais informações, mais completo ficará o currículo. Mas isso é um erro clássico. Não se prenda a explicar TODAS as atividades que desempenhou em cada emprego ao longo da sua vida profissional. Fale o básico. Deixe funcional. Na entrevista, você poderá falar com mais calma e com detalhes. Seu currículo precisa estar compacto, mesmo que tenha muita experiência. Tente ser o mais objetivo possível.

Bom, isso é tudo pessoal! Até a próxima!

Clique aqui para comentar ( )