Todas as semanas lemos sobre algum plágio seja um flyer que é idêntico ao de uma empresa famosa ou até uma identidade visual semelhante a outra que foi brilhantemente projetada, mas se pararmos para pensar, praticamente todas nossas criações possuem o 'dedo' e um pouco da genialidade de outras pessoas das quais muitas vezes não recordamos o nome.
Inspirações

A originalidade existe?

Todas as semanas lemos sobre algum plágio seja um flyer que é idêntico ao de uma empresa famosa ou até uma identidade visual semelhante a outra que foi brilhantemente projetada, mas se pararmos para pensar, praticamente todas nossas criações possuem o ‘dedo’ e um pouco da genialidade de outras pessoas das quais muitas vezes não recordamos o nome.

Para ser mais claro, a criatividade, por mais louca e ilógica que possa parecer, necessita obrigatóriamente de conhecimento e repertório seja ele visual, olfativo, auditivo ou de qualquer outra forma para que possa realizar sua função principal, criar.

Logo a criatividade, na maioria das vezes, passa a agir apenas como uma reorganização de memórias, inspirações, repertório e bagagem cultural. E vocês me perguntam: Onde você quer chegar com essa discussão?

O ponto que eu quero chegar não é uma afirmação mas sim algumas perguntas para refletir, que são elas:

-A que ponto dessa reorganização de ideias a criação passa a ser autoral/original?

-Como chegar ao ponto de ser totalmente original?

-É possível criar algo sem nenhuma referência?

Vamos discutir sobre isso nos comentários? Afinal, muitas cabeças pensam melhor que uma.

Clique aqui para comentar ( )