Espaços Ecléticos
Design

Ambientes ecléticos: pouco espaço, muita criatividade

Que os espaços em tamanho reduzido podem sim ser confortáveis você já sabe, não é? Já falamos certa vez em um texto aqui no Design Culture sobre quartos, home offices, circulação e etc com bastante aproveitamento de espaço, sem perder o charme. Agora imagine uma casa ou apartamento inteiro com metragens economizadas, como 46, 39 ou até mesmo 16m²? Parece impossível fazer caber os cômodos essenciais para se viver em um lar, tais como a cozinha, dormitório, banheiro ou sala. Mas acredite: existe muita gente criativa no mundo que consegue tirar o máximo proveito desses ambientes minúsculos, transformando-os em lugares aconchegantes e singulares.

Qual seria o perfil dos moradores desses “micro-ambientes”? Em sua grande maioria, jovens que acabaram de começar uma vida independente dos pais, que saíram de casa recentemente e estão lidando com uma rotina dividida entre faculdade e trabalho, guiada portanto pela praticidade. Em alguns casos, morar em um local bem pequeno foi uma opção mais viável financeiramente; em outros, a escolha foi por pura afinidade, alimentada por uma precedente vontade de residir nesses minúsculos espaços – que são vistos como mais acolhedores e personalizados.

De todas as maneiras, esse novo estilo de morar acabou se configurando como um nado contra a corrente das grandes e exuberantes casas, representando também as opiniões e modos de pensar de um público que questiona seus hábitos perante si e a sociedade. Se eu não preciso de uma grande casa, com qual propósito eu me obrigaria a adquirir uma, se isto causaria impactos tanto para mim quanto para quem está à minha volta? De certa forma, é uma espécie de freio na avalanche do consumo, que também está sendo aplicado no vestuário, no mobiliário e nos meios de transporte, e tem sido responsável por uma transformação gradativa na maneira como enxergamos nosso papel enquanto consumidores, moradores, vizinhos, enfim, cidadãos.

Deixando um pouco de lado a análise sociológica e voltando à ambientação: morar em ambientes reduzidos, escolhidos espontaneamente ou não, ao contrário do que parece em um primeiro momento, não significa uma recusa ao conforto. O design de interiores aparece como peça-chave para planejar e fazer de cada valioso metro quadrado um aliado, oferecendo à mão e com soluções inteligentes tudo o que o morador precisa em sua rotina, seja para trabalhar em casa, preparar um almoço, curtir um domingo ou receber os amigos. O resultado desse planejamento acaba sendo uma grande fonte de inspiração, dando origem a espaços multiuso e ecléticos, que durante o seu uso servem para variados propósitos sem precisar de reformas ou grandes mudanças. Muitas vezes, é preciso apenas puxar uma mesa, empurrar um móvel e pronto! Um único ambiente pode virar dois, três, quatro… E por aí vai. Para que isto aconteça, alguns segredos são essenciais: uma boa marcenaria projetada; móveis práticos e com rodizio; materiais e acabamentos de fácil manutenção; mobília multiuso (sofás-cama, mesas extensíveis ou estantes modulares, por exemplo); eletrodomésticos no tamanho adequado; e atenção especial para o padrão das medidas ergonômicas, para que o usuário não fique prejudicado e possa circular confortavelmente pelos espaços.

Para se inspirar na decoração de ambientes pequenos, é só conferir a nossa galeria abaixo. Quem quiser ir além e ver mais sobre o assunto, visite o Tumblr Casas Pequenas e o canal no YouTube Spaces TV.

Escrito por Mariany Carvalho

Clique aqui para comentar ( )