Design

Ambientes lindos, sustentáveis e baratos com OSB

O nome OSB deriva do nome em inglês Oriented Strand Board, equivalente a “Painel de Tiras de Madeira Orientadas”. Seus painéis são formados por lascas de madeira e resina,  aplicadas sob altas temperaturas e pressão. O material surgiu nos EUA, como uma segunda geração do waferboard, um painel com lascas menores e não-orientadas. Logo de seu lançamento, suas chapas foram bem aceitas no mercado de construção civil, já que suas propriedades físicas e mecânicas são ótimas para fins estruturais. Desde a década de 90, o OSB vem desbancando o mais conhecido “Compensado” no mercado, sem ficar devendo nada. Apesar disso, seu uso ainda é bem recente por aqui: somente em 2002 o OSB começou a ser produzido e comercializado em grande escala no Brasil, pela empresa Masisa do Brasil.

Textura do OSB

Textura do OSB

Além de seu emprego na construção civil,  o OSB também se mostra um material versátil para o uso em ambientes. Com sua textura característica, na maioria das vezes dispensa o uso de tintas e acabamentos, sendo usado o painel “puro”. Normalmente, o que se vê são ambientes planejados feitos em MDF (Medium Density Fiberboard), também um ótimo material, mas é crescente o uso de materiais alternativos na decoração. Até mesmo o papelão, um material muitas vezes tido como desprovido de beleza, é cada vez mais usado. A imagem abaixo pode reafirmar essa ideia (ou você precisa rever seu conceito de “beleza”).

Ambiente da sede do Rabobank (Holanda) com o uso de papelão.

Ambiente da sede do Rabobank (Holanda) com o uso de papelão.

As vantagens do OSB, além da já falada resistência mecânica, é que possui boa rigidez, estabilidade e – a cereja do bolo – o amado baixo custo. Sob o ponto de vista sustentável, este tipo de placa se decompõe mais rapidamente do que as de madeiras sólidas. Além disso, a maioria dos OSBs do mercado utiliza somente lascas provenientes de madeira de reflorestamento. Veja alguns ambientes bem pensados com o uso do OSB:

 

Fontes: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

 

Clique aqui para comentar ( )