Publi e MKT

Cervejaria Stella Artois Comove o Público Digital com Websérie

Dezembro começa e eu nem preciso prever o que vai vir por ai na propaganda Brasileira. Propagandas sazonais sempre fizeram parte da história da publicidade e ao meu ver sempre vão existir, porque é preciso continuar movendo a roda do mercado. E apesar de ser um pouco clichê e já fácil de prever, o grande diferencial desse tipo de campanha é o como fazer. E aí a criatividade entra em jogo e cada marca faz de sua forma; inovadora ou não, original ou não; o que importa é que elas fazem e de ano a ano vemos coisas diferentes.

E mau começou Dezembro e a cervejaria Stella Artois já me surpreendeu com uma websérie bem legal baseada em sua própria história. Criada pela Mother, o primeiro filme da campanha virtual (intitulado “A Estrela Cadente”) conta a origem da marca que “foi originalmente criada como um presente de natal para os moradores da cidade de Leuven, na Bélgica” como a própria locução do filme conta e que você pode conferir abaixo.

No segundo filme, intitulado “lights” um jardim de carvalho fica iluminado na fazenda de um casal, como você pode ver abaixo.

O terceiro filme, chamado de “Snow”, vemos recriado o dia que nevou em Buenos Aires para retratar um momento especial na vida de um casal Argentino (veja abaixo).

O quarto chama-se “Piano” e mostra como uma pianista voltou a tocar, dando um toque a mais de romance na vida de um casal Inglês (abaixo).

No filme “Camera”, o quinto e último da série, vemos um grupo de amigos ajudando um deles a realizar seu sonho (abaixo)

Uma bela e comovente série

Como você já pode perceber, depois de assistir a todos, eles tem os mesmos 20 segundos iniciais em comum, se desdobrando para bonitas histórias, inicialmente entre casais e por último entre amigos, tudo isso dentro do mega conceito “Give Beautifuly” o que em português seria um convite a dar o melhor, o mais bonito. O surpreendente para mim não é apenas a linguagem de um drama de cinema e nem a carga sentimental forte, mas o como um posicionamento e um conceito foram expandidos tão bem.

O sentimento do natal ali presente, traz uma nostalgia e um nível de humanidade tremendos que acabam por te envolver na história. É exatamente isso que hoje em dia chamam de storytelling, o que todos sabemos não é novo e apenas agora foi dado um nome bonitinho, mas realmente funciona. A presença da marca no início e no final como uma marcação de território e um brinde ao “belo” por último, realmente dão um ar todo especial a série. Meus parabéns a agência Mother e seus criativos, pelo ótimo trabalho e produção realizada. Digno de um grande prêmio e quem sabe esse foi realmente o propósito? Mas enfim, para mim valeu mesmo assim e não há nada de errado nisso.

Clique aqui para comentar ( )