Inspirações

Coisas que aprendi trabalhando como designer freelance

The NuSchool é um projeto de três jovens empreendedores com dicas para tirar dúvidas comuns de quem trabalha por conta própria. Quanto cobrar por um projeto? Como falar com o cliente pela primeira vez? Como conseguir mais clientes? Por lidarem com questões diárias que qualquer profissional, principalmente em início de carreira, se identifica de imediato, eles se juntaram e criaram um site criativo e bem informativo.

Com uma abordagem direta e divertida, os idealizadores do projeto se propõem a responder quaisquer dúvidas enviadas para o site, transformando algumas delas em conteúdos super interessantes, apresentados através de textos ou vídeos. O único detalhe é que o site é todo em inglês, o que pode limitar a compreensão para algumas pessoas. Por isso, resolvemos adaptar o que vimos lá para uma série de dicas aqui, complementando com tudo aquilo que achamos pertinente. Vamos começar falando sobre cinco coisas básicas que se aprende trabalhando como designer freelance.

Foto01

1. FAÇA DE GRAÇA OU COBRE O PREÇO TOTAL – Uma das coisas mais difíceis ao se fazer projetos para amigos ou familiares é a hora de cobrar: eles querem o melhor projeto pelo menor custo. E, na tentativa de agradá-los, o designer acaba cometendo o erro de dar um desconto e é aí que começam os problemas. O cliente-amigo acha que, como está pagando, merece a mesma atenção de um cliente comum (de quem seria cobrado valor integral). Só que o designer sabe que está cobrando menos do que o trabalho valeria e este acaba não se tornando sua prioridade. Resultado: um dos dois pode sair insatisfeito dessa história. Por isso, sempre avalie se vale a pena o desconto que você quer oferecer, considerando o stress que você terá com o trabalho. Se não valer, você tem três opções: fazer de graça (e aí o cliente não poderá cobrar muito prazo), cobrar o preço total (e atender o cliente da melhor forma possível) ou simplesmente não fazer.

2. FAÇA PROPAGANDA DE SI MESMO, ANTES QUE VOCÊ REALMENTE PRECISE DISSO – Designers, principalmente em início de carreira, acham que só devem divulgar seu trabalho quando tiverem um portfólio “perfeito”. O problema é que esse dia nunca chega, porque detalhistas que somos, sempre achamos que algo pode ser melhorado. E aí, na hora que aparece aquela oportunidade, ela talvez seja perdida. Um outro caso: imagine que você está empregado, mas pretende deixar seu trabalho dentro de seis meses para se tornar designer freelance. Não espere sair do emprego para começar a divulgar sua nova forma de ganhar dinheiro. Tente se planejar para fazer isso o quanto antes porque, dessa forma, ao encarar o novo desafio, você estará mais preparado e, provavelmente, já terá uma rede de clientes ou de pessoas que conhecem o seu trabalho.

3. APRENDA A DIZER “NÃO” A SEUS CLIENTES – Não aceite todos os jobs que te pedirem pelo simples fato de realizar mais um trabalho ou de ganhar mais dinheiro. Em determinado momento, você poderá ter mais trabalho do que tempo para desenvolvê-los e é importante ter um tempo para si mesmo. E o mais incrível é que no momento que você começa a dizer “não”, seus clientes começam a te olhar de forma diferente. Você passa do papel de “implorador” de trabalhos para aquele papel, muito melhor, de poder escolher o projeto que quer desenvolver e, com isso, acaba se valorizando. Mas cuidado: só faça isso se você realmente já tiver um bom portfólio e clientes suficientes que te garantam a grana necessária para pagar as contas no fim do mês.

4. ALINHE AS EXPECTATIVAS COM SEUS CLIENTES – Antes de começar qualquer projeto, defina claramente itens como cronograma, valores e pagamentos, formas de comunicação, itens cobertos pela proposta, número de retrabalhos, o que é responsabilidade do cliente para a realização do trabalho, etc. A maioria dos problemas entre designers e clientes pode ser resolvida se as expectativas, de ambos os lados, estiverem bem alinhadas. E, claro, nunca esqueça de preparar um bom e claro contrato que te resguarde em caso de futuros problemas.

5. NUNCA ESQUEÇA DE FAZER BACKUP DE SEUS TRABALHOS – Parece meio óbvio, quase um clichê, mas normalmente esse é um item que passa batido pela maioria dos designers, mesmo com tantos recursos de backup que temos hoje em dia. Por isso, sempre tenha uma cópia dos seus trabalhos, mesmo que ache que nunca mais precisará deles. É uma forma de evitar retrabalho e desperdício de tempo (e dinheiro), caso um cliente retorne, pedindo para resgatar um antigo projeto.

E aí, gostaram? Semana que vem daremos mais dicas. Fiquem ligados!

Clique aqui para comentar ( )