Artes

Conheça o Portfólio de Alexandre Leoni e nossa entrevista

Alexandre Leoni

Fala criativos! Hoje temos uma entrevista com uma das grandes revelações na área de ilustração aqui no Brasil, Alexandre Leoni que é um ilustrador e designer de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, com um grande talento para a ilustração digital, tendo trabalhado em diversos projetos na área de quadrinhos, publicidade, animação e jogos. Confira abaixo a entrevista:

1- Antes de tudo gostaria de te agradecer por nos dar a honra de entrevistá-lo, nos conte mais sobre como começou o seu interesse por Ilustração?

A honra é minha de ser convidado (risos).

Comecei a desenhar desde pequeno junto com os meus dois irmãos que hoje também trabalham na área de design e ilustração. Ter companhia para desenhar no começo me ajudou a nunca parar e sempre tentar superar os meus limites. Durante toda a vida, nunca me considerei o melhor desenhista da turma, sempre tinha alguém melhor pra eu me inspirar e correr atrás. Aí, ano após ano fui melhorando até chegar no ponto que estamos hoje.

1

2- Nos fale mais quais são as suas referências, os mentores e as pessoas que o inspiram ao longo desses anos?

Acho que todo mundo me inspira (risos). Inclusive eu tinha um problema muito grande com estilo, cada dia eu queria copiar o traço de um outro cara e nunca defini um que fosse meu. De verdade, o mercado como um todo, desde os grandes nomes até quem tá começando me influencia a continuar nesse caminho. Se for pra citar um em especial, o Hayao Miyazaki me inspira muito com seus filmes e mangás. Eu gostaria de ser tão bom em criar mundos como ele (risos).

gonza-mononoke-hime

3- Como funciona o seu processo criativo na criação de uma arte?

Eu trabalho bem com briefing, com algum problema para solucionar. Um papel em branco é bastante assustador pra mim. Partindo do que precisa ser transmitido faço um esboço do que eu imagino. Se a primeira ideia transmite bem o que eu tinha imaginado, vou com ela mesmo. Se não, faço outros esboços. Uma coisa que eu preciso me forçar a fazer mais é testar várias possibilidades antes de fazer o desenho pra valer. Sou um pouco ansioso desenhando.

4- Nos fale um pouco da sua rotina, como é um dia na vida de Alexandre Leoni?

Atualmente trabalho no 80 20 design studio, então tenho uma rotina bem normal: acordar cedo, tomar café, chegar no estúdio, trabalhar durante o dia todo. Na pausa do almoço tento fazer os exercícios da semana do Bate-papo Ilustrado. Chegando em casa a noite tenho que dar um pouco de atenção pra minha família (minha esposa Mirian e nossos quatro gatos). Às vezes eu trabalho a noite quando estou mexendo com algum job freelance ou quando tem Bate-papo Ilustrado pra apresentar.

7

5- Qual você considera o ponto mais positivo e o ponto mais negativo da profissão?

O mais positivo pra mim é a sensação de superar as próprias expectativas com um trabalho, e renovar as energias pra continuar a busca infinita pela perfeição. O mais negativo é a frustração de falhar miseravelmente no processo (risos). Trabalhar com ilustração pode ser muito emocionante, pelo visto. Em relação ao mercado em si, o ponto positivo é poder trabalhar com o que você gosta, já que a ilustração pode ser aplicada a tantas coisas diferentes, para públicos diferentes. O ponto negativo é o quanto é difícil encontrar esses trabalhos ideais no mercado brasileiro, que ainda está se desenvolvendo.

zelda

6- Qual você considera seu melhor trabalho até o momento e por quê?

Eu gosto muito das ilustrações que fiz inspirado pelas lendas indígenas, porque são desenhos que eu trabalhei ao longo de 6 anos, com versões intermediárias até chegar às que estão no portfolio. Acho que elas sintetizam bem o que eu sou como ilustrador.

5

7- Agora um rápido bate-bola:

Um filme: Princesa Mononoke

Uma música: Tomorrow Comes Today (Gorillaz)

Um lugar: Onde a Mirian estiver :)

Uma cor: Ciano

6

8- Nos conte mais sobre seus hobbies, quando você não está trabalhando, o que gosta de fazer?

Eu gosto de cinema e de música. Até os 20 anos eu tive banda, tocava guitarra. Hoje eu pratico toda vez que vejo um violão ou guitarra por perto, em casa tenho 5 (risos).

9- Para finalizar, você tem alguma lição que aprendeu ao longo desses anos que gostaria de compartilhar com nossos leitores?

Nunca se compare com as conquistas de outros artistas, o emprego que o cara tem ou a idade com que ele chegou lá. Compare-se sempre apenas consigo mesmo de ontem, supere a si mesmo. Foque nos estudos e não se esqueça de curtir o processo. Lembre-se: feito é melhor do que perfeito.

Muito obrigado pelo convite, se precisar de alguma coisa, é só falar. Abraço!

Clique aqui para comentar ( )