Notícias

Direto da Drupa/Düsserdorf, Alexandre Kesse, fala sobre o mercado da imagem em Santa Catarina.

CAPA-Entrevista

Em negócios na feira número 1 da mídia impressa mundial, a Drupa que acontece em Düsseldorf (Alemanha), considerada o maior ponto de encontro do mundo para a indústria de encadernação, impressão e processamento de texto, Alexandre Keese nos atendeu e deixou sua análise sobre o mercado da imagem em Santa Catarina.

Pergunta 1: Como você vê o crescimento da área de criação em Santa Catarina?

O mercado de criação seja em Santa Catarina, vem se desenvolvendo muito e passando por um modelo de transformação muito forte, pois um conceito que existia no passado chamado de Crossmedia, ou seja, a informação publicada em diversos meios, hoje se tornou realidade.

Quem trabalha nessa área de comunicação precisa se atentar o tempo inteiro as novas tecnologias, o consumo da informação e principalmente, dominar a forma como essa informação pode ser consumida para que a criação de conteúdo seja feita corretamente.

Pergunta 2: Sabemos que o mundo é cheio de oportunidades e a cada dia que passa as áreas se interligam ainda mais, por exemplo, design gráfico, games, moda, sublimação e têxtil. Em Santa Catarina, essas áreas vem se fortalecendo diariamente. Na sua opinião, o que o Photoshop tem a oferecer para esse mercado?

O Photoshop vem crescendo muito em termos de ferramenta. Quando falamos sobre design cerâmico, publicitário e têxtil, com certeza o profissional terá a chance de aproveitar demais o que existe dentro do Photoshop, pois a cada versão novas ferramentas são inseridas e o principal, são ferramentas que permitem que você trabalhe nesse ambiente de forma mais rápida, ou seja, trabalhos que levam meia hora começam a ser realizados em 2 ou 3 cliques. Resumidamente, é possível automatizar meu processo, ganhar um fluxo melhor, gerenciar minhas informações, agregando valor ao profissional, a empresa e tornando o fluxo mais produtivo reduzindo custos.

Pergunta 3: As mídias sociais abriram portas para um mundo novo na área de criação. Ferramentas como as desenvolvidas pela Adobe proporcionaram o surgimento de novas áreas e profissionais. O que acha desses novos nichos?

As mídias sociais abrem portas, pois permite acesso mais fácil a informação, porém não adianta só ter o acesso e não estar preparado para ela. É necessário conhecer aplicativos, processos e é isso que eu defendo dentro do treinamento. O processo onde pego a informação e destrincho o porquê dentro de um contexto. Porém, no final preciso de um bom design, seja ele impresso, colocado no Photobook, cerâmica ou estampa têxtil.

Pergunta 4: Centenas de pessoas dizem que devemos sair da caixa para inovar e criar, mas a realidade é que a caixa não existe. Nós criamos ela para depois encontrar formas de sair. Na sua visão, como funciona o processo de criação?

Muita gente acha que o processo de criação simplesmente acontece, mas ele está atrelado à pesquisa. Para criar algo é necessário entender o ambiente onde essa peça será utilizada. Seja um tecido, estampa ou arte digital. Entender corretamente quais são as características daquele meio para que no processo de criação atenda as necessidades e seja eficiente é fundamental.

Não adianta falar só sobre revolução tecnológica, mídias sociais e ferramentas, pois a verdade é que tudo isso é controlado por uma pessoa, um profissional que precisa estar preparado. Por isso, meu foco dentro da educação é levar a informação de forma diferenciada, para que as pessoas possam aproveitar ao máximo a ferramenta e cada novo comando, entendendo de que forma elas podem influenciar o meio em que estiverem.

Alexandre Keese, é um dos maiores especialistas em Adobe Photoshop da América Latina (Adobe Certified Expert) e diretor do Grupo PhotoPro.

Ele estará em Santa Catarina no mês de junho, ministrando o Workshop “É Photoshop SIM!”.

14/06 – Criciúma 

16/06 – Blumenau 

17/06 – Florianópolis
18/06 – Florianópolis

Mais informações em www.jasper.com.br

Matéria escrita por Victor Lymberopoulos
Clique aqui para comentar ( )