capa
Design

Entendendo a Ergonomia

Olá Pessoas!

Todos nós Designers na construção de projetos sempre prezamos pelo conforto e usabilidade do artefato, tratando-se de Design de Produto ou Moda é que precisamos ficar ainda mais atentos a esses detalhes importantes. A cada novo projeto é muito comum ouvirmos o termo ergonomia, mas o que realmente é a ergonomia? Onde ela se encaixa? Pra que ela serve? É exatamente essas perguntas que vou tentar responder nesse post.

O que é a ergonomia?

ERGONOMIA: palavra de origem grega

ERGO: que significa trabalho

NOMIA: que significa regras

A ergonomia é a ciência que estuda o homem em qualquer atividade física ou mental no meio em que ele convive. Dentro da ergonomia são estudadas outras ciências como: anatomia, fisiologia, biomecânica, antropometria, psicologia, engenharia, desenho industrial, informática, entre outras. Através dos conhecimentos científicos do ser humano e das ciências acima citadas, a ergonomia busca proporcionar melhorias nas interações dos humanos com as máquinas e equipamentos em que eles trabalham, buscando sempre eliminar os conflitos entre humano e a tecnologia. Tais conflitos se expressam através de custos humanos do trabalho para o operador, como fadiga, doenças profissionais, lesões temporárias ou permanentes, mutilações e mortes. Também se expressam através de acidentes, incidentes, erros excessivos, paradas não controladas, lentidão e outros problemas de desempenho, assim como danificação e má conservação de máquinas e equipamentos. Consequentemente quando não existe uma intervenção ergonômica no ambiente de trabalho, o trabalhador pode baixar seu nível de desempenho, justamente por não se sentir confortável o suficiente naquele ambiente. É exatamente isso que a ergonomia faz, transforma desconfortos em confortos para melhorar o ambiente em que o ser humano vive. Sendo assim a ergonomia se classifica como a ciência do conforto. Buscando dar o máximo de conforto, segurança e eficiência ao trabalho.

A ergonomia se divide em 3 grupos principais: ergonomia da correção, ergonomia da concepção e ergonomia participativa.

Ergonomia da correção

Atua de maneira restrita, modificando os elementos parciais do posto de trabalho, como: dimensões, iluminação, ruído, temperatura, etc. É muito comum observamos vários problemas nos postos de trabalho em que vivemos. Problemas de locomoção em ambientes pequenos e com grandes máquinas, ou em indústrias que dependendo do setor, os trabalhadores ficam expostos ao calor por muito tempo, entre outras situações… Existem muitas situações que identificamos esses problemas, que podem prejudicar a saúde e consequentemente o desempenho do trabalhador. Nesse caso é interessante o empresário procurar um consultor em ergonomia para proporcionar melhorias no ambiente de trabalho.

 

ergonomia

Ergonomia da concepção

Interfere amplamente no projeto do posto de trabalho, do instrumento, da máquina ou do sistema de produção, organização do trabalho e formação de pessoal. Nessa classificação encontramos geralmente a maioria dos problemas ligadas ao conforto, justamente porque o trabalhador tende a se adaptar a máquina em que trabalha para poder produzir mais, o problema é que isso acaba acarretando em outros problemas no seu corpo, e como a atividade é repetitiva o corpo vai ficando cada vez mais cansado e fadigado, o que é bastante prejudicial à saúde. Problemas desse tipo costumam ser muito comuns, é necessário que uma intervenção ergonômica aconteça no ambiente para que melhorias possam ser tomadas e o desempenho do trabalhador possa melhorar consideravelmente.

ergonomia122

Ergonomia da conscientização

Ensina o trabalhador a usufruir os benefícios de seu posto de trabalho.

Isto é: manter a boa postura, uso adequado de mobiliários e equipamentos, como usar uma cadeira adequadamente, por exemplo. Implantação de pausas, ginástica laboral (antes, durante e depois da atividade). Como conscientizar as pessoas da limitação de seu corpo. Como treinar as pessoas a serem mais eficientes com seu corpo, dos seus subordinados, dos seus amigos e parentes. Tudo isso para garantir um melhor conforto do trabalhador em seu posto de trabalho.

ergonomia2

Ainda poderíamos citar outros tipos de ergonomia, como: ergonomia cognitiva, ergonomia de conscientização… Mas isso vai ficar para outro post.

Dentro da ergonomia existe uma tríade formada por: conforto, segurança e eficiência.

post2

A perfeita integração entre as condições de trabalho e a tríade: Conforto – Segurança – Eficiência do Trabalhador, pode ser considerada a busca da ergonomia.

Origem da ergonomia

Desde civilizações antigas, o ser humano sempre buscou aperfeiçoar as ferramentas, os instrumentos e os utensílios utilizados na atividade cotidiana. Existem exemplos de empunhaduras de foices, datadas de séculos atrás, que demonstram a preocupação em adequar a forma da pega às características da mão humana, de modo a propiciar mais conforto durante sua utilização. Com o surgimento da revolução industrial com as máquinas mecanizadas e cargas de horários extremamente grandes começou a se aplicar os conhecimentos emergentes de fisiologia, antropometria e psicologia para melhorar o trabalho humano. Durante a Segunda Guerra Mundial, mudanças tecnológicas aceleradas como: aviões mais velozes, radares, submarinos, sonares, colocaram o ser humano em situações de extrema pressão ambiental, física e psicológica. Os equipamentos militares exigiam dos operadores decisões rápidas e execução de atividades em condições críticas, que implicavam em maior quantidade de informações, novidade, complexidade e riscos de decisões, com maior probabilidade de erros fatais. Foi quando engenheiros, fisiológicos e psicólogos se uniram para resolver problemas em equipamentos, ambientes e tarefas. Nasce a Ergonomia!

Toda essa transformação só foi possível através de estudos realizados bem antes nas áreas de fisiologia (p. ex. Leonardo da Vinci (1452-1519), Lavoisier (1743-1794) e Jules Amar) medicina e higiene (Arnauld de Villeneuve (1235-1313) e Ramazzini) psicologia (J.M. Lahy).

Ok entendi, mas o que isso tem a ver com o Design? Como a ergonomia está diretamente ligada do Design?

Ok, vamos lá! Quando estamos projetando um artefato, seja ele da área de gráfico, moda, produto, interiores ou qualquer outra área. Fazemos para um usuário final e não para nós mesmos, ou seja, quando projetamos algo devemos levar em conta todos os possíveis (e impossíveis) usos que o usuário poderia vir a ter com aquele determinado produto. Temos que levar em conta que o artefato precisa ser agradável, confortável e que faça o usuário se sentir bem. Exatamente aí que entra a ergonomia, como um meio para proporcionar todos esses prazeres ao usuário. Na projeção de artefatos de moda, produto ou interiores o designer precisa ter domínio da ergonomia para que o usuário possa ter mais conforto possível. Por isso anatomia, biomecânica e outros conhecimentos citados são importantes. Por exemplo, como podemos projetar uma cadeira sem ter conhecimento do corpo humano? É impossível! Não tem como projetar uma cadeira sem pensar no assento, encosto, posição dos pés, das mãos, as medidas do corpo, entre outras. Ou até mesmo criar uma coleção sem saber como funciona a biomecânica do corpo? Não tem como! Ao projetar uma roupa ou desenvolver um tecido, é preciso pensar nos movimentos do corpo, para não criar um artefato que vá privar o usuário de fazer as atividades cotidianas sem nenhum problema. A ergonomia está diretamente ligada a isso. Passar conforto para todos os tipos de usuários, pensar em todas as situações possíveis para o uso do determinado produto. Quando o designer pensa nisso e usa os conhecimentos da ergonomia, certamente seu projeto será um sucesso. A ergonomia está em tudo, tudo que usamos, vestimos e vimos!

Lembrem que quando um produto não se aplica ao usuário, o problema não está no usuário, e sim no designer que não pensou naquele tipo de usuário/situação quando projetou o artefato.

A ergonomia é uma ciência muito ampla, onde pode ser discutido muitas outras questões e ciências, mas aqui fiz apenas um pequeno resumo para que vocês pudessem entender e aplicar um pouco desses conhecimentos em seus projetos.

Bem pessoal, era isso que eu tinha para falar por hoje, espero que vocês tenham gostado.

E aí, consegue interpretar alguma situação na sua casa ou local de trabalho que precisa de uma intervenção ergonômica? Fala aí nos comentários.

Abraços e até a próxima!

Fontes:

http://www.marelli.com.br/ergonomia

http://www.mundoergonomia.com.br/website/conteudo.asp?id_website_categoria_conteudo=6355

DE MORAES, Anamaria. MÁRCIO SOARES, Marcelo. Ergonomia: princípios, métodos e técnicas. © 2005

Clique aqui para comentar ( )