Inspirações

Já pensou em receber 10mil reais pelo desenvolvimento de uma marca?

Já pensou em receber 10mil reais pelo desenvolvimento de uma marca? Está aberto o Edital do Concurso para criação da marca alusiva aos 100 anos da Imprensa Oficial de Pernambuco, que dará o prêmio de R$ 10.000,00 ao Designer vencedor.

Com inscrições gratuitas, a data para envio da marca na sede da CEPE – Companhia Editora de Pernambuco, será entre os dias úteis de 24 de março a 30 de abril de 2015 das 08:00 às 17:00 horas, os documentos citados pelo Edital deverão ser enviados pelos Correios, com Aviso de Recebimento (AR) ou entregue através de protocolo. Para participar do concurso, basta conferir o edital (clicando aqui). O julgamento do concurso ficará a cargo de uma comissão julgadora constituída por três membros titulares e três suplentes, nomeados pelo Presidente da CEPE.

O Resultado será divulgado no dia 15 de Maio no site: www.cepe.com.br/index.php/100-anos.html, os critérios para a avaliação dos projetos considerados habilitados, com inscrição deferida, são os seguintes:

Criatividade: Visão nova e projeto moderno de marca, abordagens objetivas e subjetivas pertinentes com as demandas de uso da marca, como também a resolução estética.

Originalidade: Desvinculação de outras marcas existentes e utilização de traços e soluções ao mesmo tempo contemporâneas e baseadas na tradição gráfica nordestina.

Comunicação: Capacidade de transmissão da ideia apresentada.

Aplicabilidade: Para policromia, monocromia e aplicação sobre cores e materiais diversos.

Institucionalidade: Permitir, através de leitura visual, o entendimento sobre a data comemorativa.

Faça já sua inscrição e participe!

100anos

SERVIÇO:

A Companhia Editora de Pernambuco – Cepe é uma sociedade de economia mista que tem como atividade principal a edição e impressão do Diário Oficial do Estado de Pernambuco. Vinculada à Secretaria da Casa Civil, tem como missão publicar os atos oficiais e matérias legais, públicos e privados, garantindo sua autenticidade e perenidade, e contribuir para fortalecer a cidadania e valores culturais. Suas atividades, além da edição e impressão do órgão oficial, englobam também a edição de periódicos e a produção de impressos em geral, atendendo à estrutura do Estado e a terceiros. A partir de 2008, a Cepe vem investindo fortemente na edição de livros, que ganham o reconhecimento público, tanto pelo conteúdo quanto pela qualidade editorial e gráfica.

INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DA IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO

 Com a chegada da família real portuguesa, começa a história oficial da Imprensa no Brasil. Em 13/05/1808 nasce a Imprensa Régia, hoje Imprensa Nacional. Logo depois do Correio Brasiliense (01/06) editado em Londres pelo exilado político Hipólito José da Costa, o príncipe regente Dom João autoriza a circulação da pioneira  Gazeta do Rio de Janeiro (10/09) e de revistas também tiradas na mesma Imprensa Régia.

Só em 1821 surge o  Diário do Rio de Janeiro , após a extinção, em 21/08, da censura prévia pelas Cortes Constitucionais de Lisboa, em defesa das liberdades públicas. O próprio Dom Pedro II, responde ao excesso de zelo de alguns auxiliares diretos, com esta pergunta: “se eu não der liberdade à imprensa, como vou conhecer os meus ministros?” Assim, naquele mesmo ano, manda “aprovar, também nesta parte do Reino, as bases da Constituição Portuguesa”.

A partir de 28 de agosto é proibida a criação de obstáculos à publicação de quaisquer escritos, “ressalvada a responsabilidade dos seus autores pelos abusos que viessem a cometer” (Solidônio Leite, in Comentários à Lei da Imprensa , Rio de Janeiro, 1925, pág. 18). Surgem então no Recife vários jornais de origem oficial, inclusive o Aurora Pernambucana, fundado e dirigido por Rodrigo da Fonseca Magalhães, secretário do general português Luiz do Rego Barreto, último governador régio da província (01/07/1817 – 05/10/1821).

Embora empresa privada, o Diário de Pernambuco também insere, gratuitamente, matérias do Estado, antes e depois da Revolução Praieira (1848). Já em 1890, as publicações oficiais passam para o Jornal do Recife, até Barbosa Lima rescindir o contrato, quatro anos depois, sob o pretexto de “oposição ostensiva e sistemática desse jornal ao seu governo”.

O diário A Cidade substitui o Jornal do Recife até que este reconquista, em 1912, a preferência do governo, na administração do general Dantas Barreto. No governo seguinte, a 27 de dezembro1915, o governador Manoel Borba assina ato criando a Imprensa Oficial do Estado de Pernambuco. O primeiro exemplar do jornal  Imprensa Oficial foi impresso em 14 de janeiro de 1916. Em 1920, é suspensa sua publicação por quatro anos. Em 1924, é retomada a publicação dos atos oficiais em veículo próprio, dessa vez como Diário do Estado. Em 1944, ganha o título que tem hoje: Diário Oficial – Estado de Pernambuco.

O atual Diário Oficial do Estado de Pernambuco é editado e impresso pela Companhia Editora de Pernambuco – Cepe, criada com esta finalidade em 1967. A Cepe dispõe de uma ampla estrutura com modernos equipamentos para produção editorial e gráfica, com apoio de funcionários capacitados e dedicados.

Hoje, a Cepe é uma empresa reconhecida também pela qualidade de seus serviços e produtos como livros, jornais e revistas.  Para conhecer melhor o Diário Oficial, a Cepe e a programação das  comemorações do centenário da Imprensa Oficial em Pernambuco, acesse os endereços na internet: www.cepe.com.br e www.cepe.com.br/index.php/100- anos.html.

Clique aqui para comentar ( )