cINHO
Publi e MKT

Johnson&Johnson distribui carinho em seu novo filme

No meu último post comentei dois anúncios que se enquadram perfeitamente na nova tendência da propaganda atual: a experiência social. Pois bem, hoje, de forma despretensiosa acabei esbarrando em mais um lindo exemplo de como este tipo de ação está crescendo com força total como uma forma bonita e cativante forma de se anunciar um produto. Lançado nesta sexta-feira (13/12), o filme “O melhor presente para o seu filho” da Johnson&Johnson pegou o mote do natal e foi a fundo para emocionar a todos.

O vídeo (assista no final do post) começa com uma mãe depondo sobre como hoje em dia ninguém se preocupa com o outro, como são mais desligadas e desapegadas. Então, a tela fica branca e podemos ler o texto “a gente acredita que as pessoas tem o poder de mudar isso” em seguida “e, para provar, fizemos um experimento”. O que se segue é um simples experimento em que crianças, alunos e alunas de uma determinada escola, foram informados de que o macaco de pelúcia, mascote da instituição, estaria doente. Como de costume nesse tipo de atividade, câmeras escondidas foram instaladas numa sala de aula e nos olhos do “bichinho” a fim de captar com precisão a reação das crianças perante o mascote doente.

A reação foi impressionante: as crianças começaram a abraçar e dar carinho a pelúcia, fazendo-o se “sentir” confortável e cuidado. Tudo isso foi acompanhado pelas mães numa sala a parte através de uma televisão e fones de ouvido. A locução em Off acompanhada de um mix de imagens mostrando a emoção dos pais e o carinho dos filhos com aquele objeto se segue por todo o resto do filme. O roteiro foi cuidadosamente elaborado para que ao final a mensagem fosse: os pais precisam dar carinho a seus filhos, pois este é o melhor presente de natal que eles podem ter, afinal de contas dando carinho a ele, o mesmo se distribui ao mundo. Com a assinatura “Carinho inspira carinho” o filme termina com aquela áurea emocionante da ternura e de afeto.

O mais interessante de tudo é que mesmo sendo uma propaganda oportunista ela não esfrega sua marca na cara do consumidor. Ela se preocupa primeiro em criar um clímax e emocionar, para depois, só no final, dizer a que veio. A idéia principal foi lembrar que ao invés de se preocupar com que presente dar a sua criança, com o vídeo game ou eletrônico do momento mais adequado ao seu filho, os pais nunca devem se esquecer do carinho em primeiro lugar, pois este, mesmo não sendo comprado, também pode transformar, unir e modificar. Segundo Ricardo Wolff, diretor de Marketing Institucional da Johnson & Johnson no Brasil “A demonstração de cuidado e amor da criança para com a mascote é o reflexo do carinho recebido em casa. Desse exemplo, acreditamos ser possível construir um mundo com mais afeto e respeito”.

De acordo com informações do site adnews, a Johnson&Johnson encomendou uma pesquisa prévia ao IBOBE para entender e mapear a importância do carinho para os Brasileiros, dando origem ao vídeo em questão. No estudo, que ouviu mais de 2000 pessoas de diferentes gêneros ,classes sociais e raças, 28% da população Brasileira afirmou nunca ter recebido carinho na vida. Tudo isso choca, especialmente num pais que é tão emotivo e caloroso. E exatamente por esta razão que a JWT está realmente de parabéns por ter captado esse dado e levado isso para uma ação tão bonita, profunda e tocante que nem parece publicidade. E Pelo que tenho visto neste tipo de atividade da experiência social, essa característica de “esconder” a marca e pegar pela emoção é um fato presente em todas elas, o que apesar de ser comum as já consagradas pegadinhas, parece muito mais bem acabada e inteligente.

Parabéns a JWT e seus criativos Angela Bassichetti, Erick Rosa,
Sleyman Khodor, Hélio Marques e aos diretores de arte Lucas Reis e Tiago Beltrame por executar tão bem a peça e demonstrar de forma tão suave, delicada e criativa como uma experiência bem sucedida pode agregar valor ao produto, a marca e de uma certa forma a própria JWT.

Clique aqui para comentar ( )