Design

Mitos editoriais

Lendo meu livro “Design editorial” no final de semana, me deparei com uma página de dicas importantes para a carreira do designer editorial e resolvi compartilhar com vocês. Afinal de contas, aposto que tem muita gente querendo pegar uns freelas de diagramação e desenvolver seus próprios projetos gráficos.

Verdadeiro ou falso?

A capa é a página mais importante em qualquer revista.
Cada vez mais verdade. Se a capa não atrair a atenção do leitor, então, todo o trabalho interno será desperdiçado. Para as revistas digitais, a capa é um ponto de entrada, é uma home page que reforça a marca. Na web, as revistas são representadas em miniaturas como ícones e as capas, portanto, têm de fazer o possível para serem memoráveis, mesmo em tamanho minúsculo.

Os designers existem apenas para fazer o que os editores dizem.
Os designers são parceiros e iguais no processo criativo. Eles colocam lenha na fogueira e podem fazer com que um conteúdo editorial chato pareça bom. A melhor equipe editor/designer é a que tem respeito mútuo e parceria.

 Toda imagem precisa de uma legenda.
Se você quer que os leitores sigam o significado de uma fotorreportagem, então cada imagem precisa de uma legenda. Se as imagems forem utilizadas como elementos decorativos, então isso não será necessário. As imagens sempre precisam ser creditadas ao fotógrafo ou à agência que as forneceu. A violação de direitos autorais não é uma boa prática de design e deve ser evitada.

O dinheiro gasto em fotografia ou ilustração originais vale cada centavo.
Criar algo original é o que motiva os designers. Se o orçamento permite um novo material, então, vale a pena criar algo único para a revista. Além disso, os direitos de usar de novo a imagem podem ser incluídos na taxa original. Um editor pode, assim, começar a construir uma biblioteca de imagens que podem ser reutilizadas. Revistas de moda e estilo de vida lucram vendendo imagens dessa forma.

Usar imagens gratuitas da internet é o caminho do futuro.
Visar um produto exclusivo deve ser a grande prioridade. A produção de imagens originais não pode ser ignorada, mas isso pode ser caro. Lembre-se de que as imagens disponíveis gratuitamente na internet podem aparecer em qualquer lugar. Se usar imagens da web, as fontes devem receber os devidos créditos e cuidados devem ser tomados para verificar a permissão de uso.

Espaço em branco não vende revistas.
Se o espaço em branco agrega elegância à atmosfera e narrativa visual (tensão/ausência), então, ele tem valor. Se ele existe simplesmente para esticar o texto e preencher as páginas, então não tem valor editorial.

 

Referência:

Design editorial – Jornais e revistas/Mídia impressa e digital
Cath Caldwell e Yolanda Zappaterra

selective focus image, magazines

Clique aqui para comentar ( )