mostruario_de_papeis
Design

Papel, por que te quero?

A produção de um material gráfico requer criatividade em todos os aspectos, entretanto uma boa arte pode ser ainda mais valorizada pelo acabamento. Os recursos hoje disponíveis são inúmeros, laminação, dobras, vinco, formato, faca especial, etc. Mas antes de ir ao acabamento uma peça fundamental para o sucesso do trabalho ainda é o PAPEL. Parece metódico, principalmente quando vivemos em constante contato com o mundo virtual, mas o tipo de produto a ser impresso e o método de acabamento a ser aplicado depende diretamente do papel ideal a ser utilizado. Aquele que fará toda a diferença na finalização do trabalho. E sabemos que a arte produzida pode ser linda, mas o valor que o acabamento agrega é indiscutível.

Para definir qual o melhor papel a ser usado nas impressões é preciso responder algumas perguntas, as principais são:

1- Qual a gramatura que o papel deve ter?

É importante saber se o trabalho necessita de um papel mais encorpado, ou um papel mais fino, leve. As gramaturas de papel geralmente variam de 50 a 350 gramas.

2- Qual é o formato do papel?

Sim, influência muito, quem esta diretamente ligado a trabalhos gráficos sabe que em muitos momentos podemos fazer um aproveitamento de papel dentro do formato escolhido, o que ajudará diminuindo o preço final das peças. Entretanto é sempre bom ficar atento ao que a gráfica oferece, pois alguns papeis especiais não tem todos os formatos.

3- Sem brilho ou com brilho e quanto de brilho?

Influencia na arte, algumas vezes é bom estar atento ao brilho do papel e que interferência sofrerá quando for acrescentada a tinta na hora da impressão.

4- Qual a cor do papel?

Sim, a melhor parte é que podemos sair da ‘síndrome do papel em branco’ ate mesmo na hora da impressão. Alguns papeis especiais apresentam cores diversas que faz o trabalho se destacar ainda mais. Entretanto fique  atento, solicite à gráfica uma amostra física da cor do papel escolhido, se possível alguns testes de cores e de impressão da arte, pois dependendo do papel escolhido, interferirá diretamente nas cores utilizadas no arquivo digital.

5- Qual a textura que combina melhor com seu trabalho?

Não preciso dizer, mas é a minha parte preferida. Os papeis com textura possibilitam  uma experiência a mais com o material gráfico! Mas só será 100% eficiente se você tiver um mostruário, e um bom contato com a gráfica, assim vocês podem discutir os efeitos da impressão da arte naquele papel escolhido. Por exemplo, na impressão em offset, quanto mais liso o papel, mais nítida e viva será a impressão. Não se assuste é um contato que vale muito a pena. Temos muito a aprender com eles e é claro, quanto mais sabermos sobre como nosso fornecedor trabalha, melhor temos possibilidades de retorno aos nossos clientes.

Amigos leitores, separei uma lista dos materiais mais utilizados no meio gráfico, mas sugiro que você tenha um mostruário de papel do seu prestador de serviço principal, ou de vários se você preferir. É importante para que você possa escolher melhor, mas principalmente que você poderá mostrar ao seu cliente porque a escolha de determinado papel.

Veja a seguir as principais características dos principais papéis utilizados:

– Couchê: Papel convertido a partir de papel-base¹, revestido de um ou de ambos os lados com substâncias minerais, na máquina de revestir ou na própria máquina que faz o papel-base, podendo receber acabamento brilhante em supercalandra², texturizado, mate ou fosco. Por apresentar ótimas características de nivelamento superficial, é empregado na reprodução de trabalhos de elevada qualidade. Garante cores vivas e definidas na impressão. É bastante usado em revistas e publicações especiais.
Gramaturas³: 70g/m² – 80g/m² – 90g/m² – 115g/m² – 130g/m² – 150g/m² – 170g/m²

– Jornal: Papel de superfície irregular e pouco colada (representa uma variação maior na qualidade do impresso), de baixo custo, usado na impressão de jornais, folhetos, livros, revistas, materiais promocionais em geral.
Gramaturas: 48g/m² – 52g/m²

– LWC (Lightweight Coated Paper): Papel fabricado com alta porcentagem de celulose, revestido fora de máquina com 8 g/m² a 19 g/m² de tinta couchê em cada face, utilizado na impressão de catálogos, revistas, livros, materiais promocionais. Alternativa para o papel couchê.
Gramaturas: 56g/m² – 57g/m² – 60g/m² – 70g/m² – 80g/m² – 90g/m²

– Offset: Papel de impressão sem revestimento, fabricado com pasta química branqueada, conteúdo de carga mineral entre 10% e 15%, boa colagem interna e superficial. Oferece boa reprodução de imagens e é mais utilizado em livros e cadernos. As altas gramaturas são utilizadas em casos especiais.
Gramaturas: 56g/m² – 63g/m² – 70g/m² – 75g/m² – 90g/m² – 120g/m² – 150g/m² – 180g/m²

– Reciclado: Papel fabricado a partir de polpa de papel usado, desentintado e branqueado, ou a partir de aparas de impressão ou de conversão. Tem uma tonalidade mais escura, mas possui a mesma qualidade do papel offset.
Gramaturas: 63g/m² – 70g/m² – 75g/m² – 90g/m² – 120g/m²

– Supercalandrado: Papel que recebeu acabamento acetinado em supercalandra², deixando o papel com mais brilho e transparência. É utilizado em publicações de grande tiragem.
Gramaturas: 52g/m² – 56g/m² – 60g/m²

¹Papel especialmente produzido para receber o revestimento couchê.

²A calandra é uma máquina constituída de um conjunto vertical de cilindros metálicos polidos e cilindros revestidos com tecido de fibra sintética alternados, entre os quais passa o papel sob pressão, afim de ser alisado.

³A gramatura é a massa de uma folha de papel expressa em gramas por metro quadrado. Uma baixa gramatura representa um papel mais fino e a alta gramatura indica um papel mais grosso.

 mostruario_de_papeis

Mais papéis e suas características você pode conferir no Glossário de papeis: http://panucarmi2.wikidot.com/glossariotipospapel

 

Fonte bibliográfica: GRAPHOS – Glossário de termos técnicos em comunicação gráfica. Sérgio Rossi Filho. São Paulo. Editora Cone Sul, 2001.

Clique aqui para comentar ( )