Freela e Startup

Portfólio: O produto é você.

Ter imagens legais e estudos em seu portfólio pode funcionar para uma vaga de estágio ou em cargos de pura produção. Mas se você já possui bastante experiência em criação e quer passar para uma nova fase (pode ser como freelancer full-time, dono do seu próprio estúdio/agência ou um cargo em coordenação/direção) talvez seja melhor arriscar um pouco mais em seu portfólio.

Acredito que o melhor caminho seja enxergar a si próprio como um produto. Afinal, como convencer alguém de que é capaz de vender algo (seja uma ideia, conceito ou produto) se não consegue vender a própria imagem?

Não acredito em um passo-a-passo na hora de construir um portfólio. Depende da vaga, da empresa e do seu perfil, mas talvez seja legal avaliar algumas coisas antes de começar.

1.       Jogar fora o currículo?

Vi essa recomendação em alguns lugares e devo dizer que discordo totalmente. O portfólio pode ser mais importante por mostra sua linha criativa e o resultado de seus projetos, porém o currículo pode dizer muito sobre você. A formação acadêmica é realmente de pouca importância, porém se você fez cursos após a faculdade, por exemplo, mostra que não é uma pessoa acomodada e que sempre busca se atualizar com o mercado. Sem falar que a maioria das oportunidades de emprego vem da internet, e quase sempre as empresas pedem seu currículo em anexo. Então vale investir em um formato criativo. Se tiver dúvida sobre como fazer um, clique aqui (link para http://designculture.com.br/o-bom-e-velho-curriculo/).

2.       Qual o seu diferencial?

Independente da sua formação, sempre há critérios básicos que você é obrigado a saber. Por exemplo, um designer deve saber compor, trabalhar com cores de forma harmônica… Mas, além disso, o que faz você se destacar do mercado? Descubra isso e explore.

Por exemplo:  Andraditya (link para: http://www.behance.net/gallery/Fancy-Ape-Self-Promo-Mini-Figure/8128179) além de ser um ótimo designer gráfico e de embalagens, mostra que também é muito bom em toy design. E ainda, explorou as mídias digitais com o pen-drive e o QRcode.

a4af3d9f594452d3577c7c90f07b3867

1.       Qual o alvo?

Exatamente como em um projeto, tenha sempre em mente o alvo. Se você quer entrar em uma agência de marketing digital, foque nas mídias digitais. Se o foco é em um estúdio de design, tente trabalhar em diversas mídias, mas priorize o conceito da identidade, e assim por diante.

Ou faça como Marco Sosa (link para http://www.flickr.com/photos/maucosis/) que fez portfólios diferentes para cada alvo.

Portfólio de logos

portfólio de logos

Portfólio de Mídias

portfolio de midias

Portfólio de Ilustração

portfolio_de_ilustracoes

Identidade Visual

Crie uma para si e não preciso nem dizer “mantenha essa identidade em todas as mídias e formatos” né?

Espero ter inspirado e ajudado vocês. Quem quiser conhecer  meu portfólio (link para http://www.behance.net/gallery/Portfolio-2013/8503055) estou aberta a críticas e sugestões!

[alert style=’3′]Nota do blog: Aproveitando o post, abrimos um espaço para você enviar seu Portfolio.

Faremos uma seleção e publicaremos em uma matéria exclusiva e dedicada a vocês aqui no Blog Design Culture.

Envie para: portfolio@designculture.com.br até 20/05/2013 [/alert]

Clique aqui para comentar ( )