post
Design

Profissões na área da Moda #4 – Estilista

Chegamos em uma das profissões mais famosas da área da moda, o estilista, conhecido por todo glamour, elegância e um pouco de ‘loucura’ que a mídia veicula, mas será que só disso vive o estilista? é isso que vamos desmitificar nesse post.

A função do estilista é de criar coleções de roupa ou acessórios pertinentes a um público-alvo e com isso influenciar na maneira de que essas pessoas se vestem criando novas tendências ou até mesmo  criar roupas seguindo tendências vigentes (aquelas que o coolhunter pesquisou no post anterior, sabem?).

Para criar essas coleções o estilista deve ter um bom conhecimento em desenho, modelagem, marketing, tecidos e aviamentos, arte, história do vestuário,  e claro ter muita criatividade. Ele não é só um bom desenhista de moda, e sim um projetista de roupas, pois existem desenhos de roupas que jamais entrariam em uma pessoa devido a silhueta humana ser cheia de curvas.

Assim como no design, cada coleção deve ter uma inspiração, uma paleta de cores e uma tabela de referência de tecidos que devem ser seguidos rigorosamente, pois em uma confecção não se compra de 1 em 1 metro de tecido e sim em larga escala, ou seja, não se pode sair muito do roteiro.

Quanto a ser antenado, é óbvio que o estilista precisa estar conectado com tudo que está acontecendo no mundo, principalmente na Europa, de onde na maioria das vezes as tendências vem, mas o mais importante disso é saber adaptar o look europeu para a região em que as roupas serão vendidas, imagina um casacão que é usado no rigoroso inverno noruegues sendo reproduzido exatamente da mesma forma no nordeste brasileiro onde o sol é ‘brabo’ até no inverno, me perdoem pela expressão, enfim, não daria certo, concordam? Tendo isso em vista, o tal estilista deve alterar o  tecido para algo mais leve e mais condizente ao local.

Apesar de não criar as roupas sozinho, ele tem que estar com a coleção pronta cerca de 6 meses antes de começarem a ser comercializadas,  tudo isso devido ao tempo necessário para a confecção das peças que não é dos mais curtos como também para permitir que já seja elaborada uma campanha publicitária, catálogos, e claro, um editorial.

Esse foi o post explicando um pouquinho do trabalho do estilista (que no Brasil se difere do Stylist por alguns motivos que serão explicados em aglum capítulo dessa série de posts) com a intenção de desmistificar um pouco do mundo da Moda e mostrar que há muito mais suor do que glamour nessa área. No próximo post falarei sobre a modelista, que exerce um papel muito importante na concretização de uma roupa.

Obrigado por lerem, se tiverem alguma dúvida é só perguntar nos comentários que responderei com todo prazer a todos vocês que me inspiram à escrever e transmitir um pouco do que sei.

 

 

Clique aqui para comentar ( )