capa-pscicologia-das-cores-pt-3
Inspirações

Psicologia das Cores – Parte 03: Percepção de imagens e cores pelo cérebro

capa-pscicologia-das-cores-pt-3

Oi gente, estou de volta com a terceira parte do artigo sobre psicologia das cores. Hoje eu vou estar falando das cores aplicadas a imagens, especificamente em campanhas e vou usar um case que eu particularmente gosto muito que é o Itaú. Vamos dar início falando da percepção do cérebro quando ele “lê” e quando ele “vê” uma imagem e depois vamos fazer uma rápida análise da marca Itaú para então analisarmos as campanhas.

BIBLIOGRAFIA

Mas antes… vou falar rapidinho sobre o livro em que me inspirei para esta terceira parte do nosso artigo:

Pensar com imagens, do autor Enric Jardí. É um livro que também estarei usando para um outro artigo falando de títulos e campanhas que foi pedido por um de nossos leitores. O livro mostra como o nosso cérebro faz a leitura de imagens e consequentemente das cores que estão inseridas nela. Por meio da análise de 60 imagens utilizando recursos técnicos, da cor, da forma, dos signos e elementos de retórica visual o autor mostra a forma correta da empregabilidade destes elementos para que seja feita uma melhor utilização da comunicação visual. Caso queira saber mais sobre este livro é só acessar este link > http://goo.gl/8HDL5m

Agora vamos lá! Você sabia que a forma que o seu cérebro lê uma imagem é diferente da forma de quando ele vê uma imagem? “Opa! Que história é essa de ler e ver imagens?”

É isso aí pessoal, quando lemos um livro e nos é descrita uma paisagem ou até mesmo as feições de um personagem, nosso cérebro trabalha de forma diferente do que quando nos é apresentada uma foto. Vamos pegar de exemplo um livro que você gosta muito e que tenha virado filme depois… Vai me dizer que os atores são exatamente o que você imaginou enquanto lia o livro? Eu sei que muitos vão dizer que é uma adaptação, por isso eles tentam chegar o mais próximo possível do que está no livro, porém o seu cérebro imaginou uma coisa, mas na vida real era outra, certo? Então, é esse o ponto que eu estou querendo chegar! E se junto do livro viesse um álbum de fotos com todos os personagens você não iria precisar imaginar algo, mas sim apenas ver a foto e toda vez que aquele personagem fosse mencionado você iria imediatamente liga-lo aquela determinada imagem.

Esse exemplo pode ser feito com “n” fatores, e se eu pedir para você imaginar um cachorro? Pode vir o seu cachorro de estimação em sua mente, um cachorro que você viu na rua ou uma raça que você acha bonita, certo? E agora se eu falar que ele é marrom? Pode ser que você pense exatamente as mesmas coisas só que com um cachorro marrom. Mas, e se eu ainda falar que esse cachorro é marrom e é um pooddle? Sua visão já é outra, não é mesmo? E vamos ainda melhorar isso e seu eu falar que esse poddle marrom é este da imagem abaixo?

poddle-marrom

Poodle Marrom

Se eu mencioná-lo de novo durante o decorrer do texto tenho certeza de que irão assimilar a imagem ao invés de se recordar daquele cachorro, e muitos ainda irão se perguntar “qual cachorro?” (risos).

Enfim, é assim que nosso cérebro funciona quando se trata de imagens e o nosso case de hoje explorou e explora muito bem isso. O cérebro assimila mais facilmente símbolos e ícones e os liga a imagens que podemos ver no cotidiano, por exemplo se eu pedir para você me dar o nome da marca que possuí uma maçã como símbolo com certeza a maioria de vocês irá responder apple e não o horti fruti, certo? Isso porque a repetição da marca em nosso dia-a-dia é maior então iremos assimilá-la mais rapidamente e mais facilmente.

 

Análise da marca Itaú:

Logo do Itaú

Logo do Itaú

Banco que se encontra em alguns pontos ao redor do mundo.  Conhecido pelo slogan “feito pra você” e em suas propagandas ele é dito ao mesmo tempo que a pessoa faz um sinal de arroba (@) só que com um “i” no centro. Utilizam a composição de amarelo, azul e laranja.

O amarelo, como falamos anteriormente, tem vários significados dependendo do meio em que está inserido. Neste caso o amarelo representa o ouro (dinheiro) e otimismo que a marca transpõe em todas as suas peças.

O azul representa a fidelidade, confiança, simpatia e harmonia. Esses sentimentos são associados a esta cor devido ao fato de que eles levam tempo para serem conquistados e uma vez que o azul representa a distância, também quer dizer que é um longo caminho que temos que percorrer para alcançar os sentimentos que o mesmo passa.

O laranja é uma cor exótica, a interseção do amarelo e vermelho, transmite sucesso, encorajamento e estímulo. O Itaú explora questões como o sucesso, o encorajamento e o estímulo por meio desta cor. Já que é uma cor sutil e que não faz doer os olhos se em grande quantidade e por ser um banco sempre utilizam com o intuito de estimular seu público a fechar um negócio com eles e os estimulam a continuar fazendo sempre.

Análise das campanhas:

Você já percebeu que a maioria das campanhas do Itaú tem um efeito de luz mais alaranjado? Isso quando não são feitos filtros para que a imagem não fique totalmente laranja, ou a imagem possuí alguns elementos laranjas, como um sofá, uma estante de livros ou uma caneca que está mais ao fundo no tom de laranja.

campanhas

É mais ou menos isso que aparece se pesquisar “campanhas do Itaú” no google

Mas, porque usar só o laranja é explorado e não o azul ou o amarelo? Isso é porque depende do posicionamento que a sua marca quer tomar. O Itaú, não quer ser um banco que presa somente o seu dinheiro, não quer passar somente a confiabilidade de que é um local seguro para você abrir uma conta ou quer apenas transmitir sucesso. Ele quer fazer tudo isso de uma vez, mas para isso ele tem que te estimular a fazer, por isso, a utilização em excesso do laranja, uma vez que ele é o chamariz para fazer com que o público-alvo se movimente, se excite ou mesmo mostre interesse sem ser muito invasivo. Digamos que o laranja seria o “sexy sem ser vulgar” das cores. Uma vez que apesar de até mesmo te passar uma sensação de alerta ou te encorajar a tomar certas decisões não faz isso de uma forma tão forte quanto um amarelo ou um vermelho.

 

Campanha Outro Olhar - Itaú 2015

Campanha Outro Olhar – Itaú 2015

E então, conseguiram pescar a ideia das cores em campanhas? O ideal é se criar uma identidade uniforme que quando aplicada de várias formas ainda remetam aquela determinada marca. Não precisa que toda campanha seja do mesmo tipo da anterior, mas existe a necessidade de um elemento que fixe a imagem da marca e que transponha os conceitos da mesma. Por exemplo, o boticário que sempre tem o elemento perfume e a união das pessoas que compram perfume do boticário.

 

 

FONTES:

Pensar com imagens, do autor Enric Jardí > http://goo.gl/8HDL5m

http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/estudo-mostra-que-uma-rede-de-neuronios-e-responsavel-pela-imaginacao/

Clique aqui para comentar ( )