Nicole Tomazi

Pura delicadeza

 

Nicole Tomazi

Nicole Tomazi.

Após uma viagem a Buenos Aires, onde percebeu que designers faziam o papel de criadores, produtores e comerciantes, Nicole Tomazi deixou de lado a carreira de arquiteta e conseguiu concretizar um sonho: a autoprodução, com um trabalho mais artesanal e social. Considerada um talento no atual cenário nacional de designers, Nicole traz novos ares ao mercado moveleiro — e tudo em parceria com um grupo de mulheres da periferia de Porto Alegre.

Sobre trabalhar com pessoas em vulnerabilidade, como surgiu a ideia?

Foi da vontade de trabalhar com resíduos. Muitos artesãos não se interessam por essa matéria-prima. Eu chamo de produção social e não costumo falar em sustentabilidade, pois no fundo somos insustentáveis. Mas a ideia é tentar reduzir o impacto no planeta e também diminuir o abismo social. Eu faço somente os protótipos para viabilizar as técnicas. É um trabalho de formiguinha, mas bem gratificante.

O que você faz para se manter sempre criativa?

São as minhas curiosidades, vêm da minha vida, do meu  cotidiano. Eu não tenho um único tema de inspiração, é o cotidiano.

A Cadeira Vó Judith exemplifica bem o trabalho voltado para o desenvolvimento social e a diminuição de resíduos.  O revestimento é feito à mão, na técnica do crochê, com resíduos da indústria têxtil.

A Cadeira Vó Judith exemplifica bem o trabalho voltado para o desenvolvimento social e a diminuição de resíduos.
O revestimento é feito à mão, na técnica do crochê, com resíduos da indústria têxtil.

A poltrona Balacobaco possui a possibilidade de variação das cores para o assento de crochê, em estrutura de aço inox desmontável, dando mais dinamismo e acessibilidade.

A poltrona Balacobaco possui a possibilidade de variação das cores para o assento de crochê, em estrutura de aço inox desmontável, dando mais dinamismo e acessibilidade.

Inspirado nos traços e na postura do tamanduá bandeira — símbolo brasileiro, — o banco desenhado por Sergio Fahrer acentua os ângulos presentes no animal. A técnica de curvar a madeira está presente no objeto, que utiliza o mesmo molde para inverter os sentidos e estruturar a peça.

Inspirado nos traços e na postura do tamanduá bandeira — símbolo brasileiro, — o banco desenhado por Sergio Fahrer acentua os ângulos presentes no animal. A técnica de curvar a madeira está presente no objeto, que utiliza o mesmo molde para inverter os sentidos e estruturar a peça.

Fonte: Revista Construir Nordeste, edição 73.

Clique aqui para comentar ( )