QUEBRANDO TABU - CRIATIVIDADE
Inspirações

Quebrando Tabu – Criatividade

Um dos maiores problemas das pessoas é elas mesmas dizerem que não tem criatividade. Todos nós temos. A análise de quase todas as experiências psicológicas feitas até hoje conduz a conclusão de que o temido talento criador se encontra normalmente distribuído, isto é, que todos nós possuímos esse talento em grau maior ou menor, e que a eficácia criadora, na verdade, varia mais em função do rendimento da energia mental (se a pessoa está cansada, chateada, etc.) do que o tal “talento inato”, o famoso dom (que, em minha opinião, não existe. O que existe é estudo e dedicação).

Há inúmeros casos em que pessoas que não são da área de criação, por exatamente não terem esse comprometimento de criação, demonstraram extraordinário poder criador.

Quem nunca ficou preso em algum peça/arte e alguém que não é da área lhe falou para colocar algo – o qual você pode até não ter colocado – mas que desencadeou um insight genial, finalizando assim a peça?

Stuart Chase (economista Americano e formado pela MIT em engenharia) chegou a ponto de afirmar que, muitas das melhores ideias provém de amadores. “Todos são originais. Todos podem desenhar – se não com a maior perfeição, pelo menos dando a impressão de beleza” – Henry Wildson.

Com isso, pretendo criar uma série de artigos que auxilie vocês, assim como auxiliou a mim (pode acreditar: eu sou o rei de sabotar minhas próprias ideias e criações por achá-las ruins) e quebrar alguns tabus que escuto dentro da área sobre o processo de criação.

1. Fator Idade

“A experiência tira, mas dá”, segundo Platão. “Os moços estão mais perto das ideias do que os velhos”. Com todo o respeito a Platão, que para mim, foi um dos filosófos mais geniais que já existiu. Mas como ele pôde dizer isso enquanto ouvia Sócrates (outra grande mente), de 60 anos de idade, apresentando novas ideias, uma após outra? Idade só é posto no exército. Todos podem começar quando quiserem e criar algo maravilhoso. Oliver Wendell Holmes, até os 48 anos de idade, era médico e professor pouco conhecido. A sua fama literária só veio apos escrever “The Autocrat of the Breakfast Table”, quando chegava aos 50 anos. Então, por que se prender? Não digo só com design ou com a arte, mas para tudo na vida. Se acha velho para fazer um curso de inglês? Uma tatuagem? Então me desculpe você realmente está velho… Intelectualmente!

2. Fator sexo

Essa coisa de que mulher é inferior ao homem é pura balela. Talvez até seja no sentido de força muscular, mas não é no quesito imaginação. A Fundação Johnson O’Connor verificou, em 702 exames de mulher, que a aptidão criadora delas, era, em media, 25% mais elevada do que a dos homens. Como mais uma prova de que a fluência nas ideias nas mulheres pode ser superior a dos homens, Edwin J. Macewan, no Estado de New Jersey, fez uma experiência há um tempo, no qual ele era instrutor de uma classe de Pensamento Criador, que compreendia 32 estudantes do último ano do curso universitário.

Novamente, quais os resultados? As mulheres revelaram 40% de superioridade sobre os rapazes no sentido criatividade.

3. Fator esforço

Realmente, quando estamos sob pressão, ou por conta de uma entrega de trabalho da faculdade ou porque está chegando a tão temida dead line, parece que nos esforçamos mais. Eu, por exemplo, trabalho melhor sobre pressão e acredito que todos trabalham, mesmo dizendo que não. Para ilustrar o raciocínio, vamos supor que eu chegasse para vocês que hipoteticamente estão dentro de um prédio e dissesse: “Tome esse caderno e esse lápis.

Escreva em um minuto o que você faria se soubesse que esse edifício viria ao chão, em resultado de um terremoto”. Talvez a resposta fosse: “Desculpe, mas não tenho ideia alguma”.

Agora vamos supor que eu representasse essa mesma cena de maneira a parecer real, chegando até você e gritando: “ESTE EDIFÍCIO VAI CAIR DENTRO DE UM MINUTO!”. Quem acreditasse, sem dúvida, teria alguma ideia. Nosso cérebro tem uma falha que faz com que ele só trabalha em situações emergenciais. Mas digo com toda certeza, por experiência própria: se esforce a criar sem que fique preso ao tempo.

pasteurPrograme seu cérebro! Louis Pasteur sofreu uma lesão cerebral, que lhe fez perder metade do cérebro; entretanto, fez algumas das suas mais célebres descobertas após o incidente. E outro exemplo incrível é a capacidade de organização das formigas. Contudo, o sistema inteiro dos insetos compreende somente 250 células nervosas, enquanto o cérebro humano possui aproximadamente dez milhões. É hora de usá-las, não acham? Nos próximos artigos, abordarei outros tabus dessa área, brainstorming e design thinking, tudo para ajudá-los a usar melhor o cérebro.

Estão preparados?

Para finalizar, deixo um video interessante da REVISTA GALILEU:

Vamos discutir, deixem seus comentários!

Confira a segunda parte da série Quebrando Tabu – Aqui!

Abraços!

Clique aqui para comentar ( )