Design

Quebrando tabu – Mapas Mentais

tonybuzan

Como dito no meu posto anteriormente, estou dando continuidade a serie de posts que me ajudam muito no desenvolvimento criativo. E hoje falaremos de MAPAS MENTAIS: 

“Nas novas formas de educação, a ênfase anterior precise ser invertida. Em vez de ensinar inicialmente fatos individuais sobre outras coisas, nós precisamos primero ensinar ao aluno fatos sobre ele mesmo: maneiras como ele pode aprender, pensar, evocar, criar e resolver problemas de uma forma melhor.” Tony Buzan.

O mesmo também uma vez disse que “um executivo geralmente demora algo em torno de 1.000 a 10.000 horas aprendendo de maneiro formal assuntos como com economia, história, idiomas, literatura, matemática e ciências sociais. Em contrapartida, o mesmo executivo geralmente depende menos de 10 horas aprendendo sobre o pensamento criativo”.

Tony descobriu rapidamente que a maioria dos grandes pensadores, especialmente Leonardo da Vinci, usava imagens, códigos e traços em suas anotações. Eles “rabiscavam” e assim davam vida às suas anotações.

E foi depois de muita pesquisa que nasceu os mapas mentais, um dos dos organizadores gráficos mais efetivos no processo do pensamento criativo e ao contrário do que as anotações comuns a técnica de mapeamento mental não possui qualquer rigidez em relação a sua forma, isso é, não existe um jeito certo de se faze-lo.

Alguns exemplos:

Todos os Mapas Mentais têm algumas coisas em comums: Todos usam cores; todos têm uma estrutura natural que parte do centro;

Todos utilizam linhas, símbolos, palavras e imagens de acordo com um conjunto de regras, simples, básicas, naturais e familiares ao cérebro.

Nosso cérebro trabalha com imagens e associações, com um mapa mental, uma longa lista de informações áridas podem se transformar num diagrama colorido, fácil de lembrar e bem organizado que opera em harmonia com o funcionamento natural do cérebro.

Algumas aplicações dos mapas mentais:

Redações: Você tem algum tema especifico mas não consegue elaborar um texto? Pegue palavras chaves daquele tema, por exemplo: Desmatamento – no centro da ramificação – e as idéias que surgem do tema, por exemplo, Amazônia, outro ramo com: Flora e etc. E assim você com os temas prontos use-os para elaborar um texto.

Elaborações de projetos: Recomendada para elaboração de projetos dado a seu apelo visual. Os símbolos mantêm a equipe criativa e permitem que sua criatividade se desenvolva ao máximo.

Apresentações: Devido ao seu apelo visual é uma excelente ferramenta para ser dito a uma palestra ou discurso. O orador se focará apenas nas idéias a serem ditas, em vez de focar na forma como tudo será dito. Isso aumenta a articulação do orador acerca do assunto a ser discutido. Além disso, ao criar uma apresentação na forma de um mapa mental, fica mais fácil o entendimento ao público.

Eu, particularmente, amo o uso de mapas mentais, ele realmente é uma ferramenta FANTÁSTICA para criação, algumas pessoas reclamam que demora muito para faze-lo, mas eu sempre achei muito prazeroso fazer, logo peguei prática e faço rápido.

E não se prendam, você pode usar essa técnica para qualquer profissão, não apenas para a área de criação.

Segue um vídeo tutorial, do meu grande amigo Seitti Arata, que é “ninja” em preparação de mapas mentais, espero que gostem:

(Vídeo para o post no Blog do Papo de Homem sobre Mapas Mentais e que complementa este artigo)

Alguns livros que eu li e recomendo para um aprofundamento no assunto:

Gostaram? Que tal praticar um pouco?

Criem Mapas Mentais sobre os seguintes tópicos:

  • Dança
  •  Protesto
  •  Livro
  •  Vermelho

Coloquem nos comentários os links paras a imagens, estamos aguardando.

Abraço!

Clique aqui para comentar ( )