finger-01
Inspirações

Seu Design é transparente?

Spoiler: contém bronca e puxada de orelha.

Vocês devem estar pensando “o que é Design Transparente?”

Vamos lá, pesquisei muito sobre artigos que falassem sobre algo relacionado ao “estilo de criação” de cada designer e como o mesmo deve ser utilizado com muita cautela, não encontrei uma nomenclatura certa para esse assunto então me dei o direito de dar nome à isso.

“Mas por que falar disso?”

No descer e subir da barra de rolagem do meu facebook vejo incontáveis portifólios sendo divulgados no meu feed, e ando percebendo que está acontecendo uma tendência dos designers terem uma vontade a mais de se sentir no direito de colocar mais dedos do que deveriam nos seus jobs, afim de tornar a identidade visual do cliente em uma simples obra de arte para o próprio portifólio.

Exemplificando, você com certeza conhece alguém em que 90% do portifólio da pessoa seja formado por identidade visuais que “coincidentemente” tem alguns elementos em comum como nomes de empresas dentro de círculos, contornos fortes, logos formados por iniciais da empresa, ou até mesmo as cores que sempre são as mesmas. Essas características que tem se tornado bem comum entre os estudantes e recém formados são como marretadas violentas em 2 dos pilares básicos do design, o conceito e a funcionalidade, deixando de pé apenas o que se diz respeito a estética.

A proposta que venho fazer é que os briefings sejam analisados com mais atenção, e que se você é uma dessas pessoas que tem o portifólio monótono passe a pensar se o “seu estilo” tem a ver com os valores e objetivos da empresa. Será que não seria mais válido tirar um pouco do “seu dedo” dali e fazer algo que seja construtivo e lucrativo para a empresa ao invés de algo que seja útil apenas para emoldurar um quadro novo no seu portifólio?

Se querem ser bons designers “transparentes” (designer do jeito certo) então bebam das fontes primordiais do design que são: o briefing, a pesquisa, e uma coisa muito impoortante que ao meu ver é o principal agente do design ”não transparente”, as referências.

E o puxão de orelha que lhes dou é:

Se for fazer um logo, não tenha como referência outro logo, o mesmo com flyers e sites, tenha referências fora da sua zona de conforto e você verá que sua criatividade sairá da caixa que você anda mantendo trancada.

Clique aqui para comentar ( )