Publi e MKT

Shit Happens

Cena do filme Forrest Gump.

Você já fez alguma grande cagada? Daquelas que fica se perguntando por que raios fez alguma coisa ou agiu de certa maneira que só te prejudicou e não resolveu nada? Nossa essência humana tende a cometer certas falhas assim constantemente. É assim que é. Faz parte da vida.

Tenho uma história engraçada pra contar e que talvez ilustre o que quero dizer. Hoje posso dar risada de situações assim e tentar aprender algo com os erros do passado. Nem sempre é fácil superar algumas coisas, mas algumas valem a risada.

Quando trabalhei no setor gráfico, fui gestor de uma equipe composta por 6 pessoas ao todo, ótimos profissionais. Era responsável direto pelo departamento de criação e pré-impressão de toda a empresa. Não era uma função tão fácil assim para mim naquela época, me sentia inseguro muitas vezes e era mega exigente, o que me fez sempre tentar ser bacana com minha equipe. Geralmente eu era o principal causador das palhaçadas.

Certa noite, alguém havia montado mock-ups e jogado cola spray na mesa de luz, o que era um grande erro, dada a dificuldade de limpar o vidro para remover o grude da mesa. Quem tem um pingo de conhecimento gráfico manja do que tô falando. Dá pra saber que eu já estava muito puto por ter que remover cola.

Lá estava eu passando o pano cheio de álcool em cima da mesa quando de repente surge a ideia mais idiota que já me passou pela cabeça, mas que de certa forma naquele momento pareceu ser bem lógica. Manja como veterinário esteriliza a mesa? Passa álcool e depois bota fogo. Pensei que isso seria uma bela maneira de arrancar o que estava grudado, e lá fui eu botar fogo…

Mano, pensa no perigo! Meu chefe – dono da gráfica e gerente de todo o funcionamento operacional da empresa – lendo uma revista sobre times de futebol do outro lado da janela. E tudo do lado de cá em chamas. Quando me dei conta que era vidro e podia quebrar, logo me veio o desespero. Foi quando tive instintivamente o reflexo de apagar aquela piscina de álcool.

Quando meti o pano chafurdado de álcool sobre a mesa, acreditando não sei como que o pano fosse abafar as chamas, me dei conta da cagada que estava fazendo. Imagine um cometa explodindo na superfície da terra, foi isso que o pano causou quando encostou na mesa, com minha mão no meio. Joguei o pano no chão e comecei a pisá-lo, e a cada pisada mais chamas subiam. Quando notei, minha mão estava em chamas também. Chacoalhei a mão, enquanto pisava ainda no pano, até o fogo apagar. Depois disso, arrastei o pano com o pé até a mangueira que havia no setor e dei umas esguichadas de água nele.

A mesa acabou apagando sozinha, e felizmente não quebrou. Meu chefe, na sala ao lado, lendo calmamente sua revista. O operador que estava comigo também não tirou os olhos do computador. Ufa! Ninguém havia notado a falha colossal. E minha mão já começava a ficar vermelha. Comuniquei que iria ao banheiro, fui molhar as mãos e lavar o rosto. Voltei ao trabalho normalmente. Resolvido.

A lição disso tudo, no fim das contas, é perceber que nunca podemos subestimar a alta capacidade de burrice que todos nós temos. Avaliar se profissionalmente estamos aprendendo a não fazer mais este tipo de vacilo, que muitas vezes até passa despercebido, é essencial para evoluirmos. Claro que nem sempre dá tudo tão errado assim, e nem sempre tão certo também. Comunicar o que você tem em mente é uma das melhores maneiras de evitar sua própria estupidez, especialmente quando você está com ideias não muito convencionais na cabeça.

O importante é aprender as lições que a vida nos dá e entender como tudo funciona. Coisas muito imbecis às vezes, mas que no fim das contas também estão aí pra dizer: Shit Happens.

Clique aqui para comentar ( )