Design

Um passeio pelo Design Gráfico para Moda

Há um sentido maior de potencial criativo quando o estúdio de design é comprometido com a indústria da moda. A liberdade criativa envolvida nos trabalhos desta relação a tornou altamente desejável. Há espaço para reinvenção e raramente produz resultados menos que espetaculares, ou seja, a moda pode se tornar um campo de criação único para a experimentação dentro do mundo comercial.

A seguir, um breve levantamento do que julgo ser alguns dos melhores projetos gráficos  para este mercado.

Branding: Viktor & Rolf (http://www.viktor-rolf.com)

A Viktor & Rolf estava em busca de uma linguagem dominada por uma tradição francesa incomum. “A moda trabalha em um nível subconsciente . Ela apela para o subconsciente e, por causa disso, nós estabelecemos uma conexão com os surrealistas, que tentaram liberar a imaginação pela hipnose, a análise dos sonhos e assim por diante.” (Mevis e Van Deursen, designers responsáveis pelo projeto)

Convites: Christian Lacroix (http://www.antoineetmanuel.com/lacroix_haute.htm)

Os convites reuniram os valores de produção refinados e o faro de Antonie+Manuel para refletir um pináculo da indústria da moda. “Temos acesso a todas as técnicas de impressão existentes, do tradicional ao hi-tech”. Antonie+Manuel são claramente estimulados pela confiança depositada neles e acrescentaram de forma consistente dimensões explosivas à passarela de Lacroix. Os convites se tornam souvenirs cobiçados da presença em um desfile, um presente tangível, promovido pela exclusividade da alta-costura.

Lookboks:  Diana Orving (http://www.dianaorving.com/)

Lookbooks são uma documentação visual de uma temporada. Distribuídos exclusivamente aos membros da indústria da moda, servindo como material da grife de moda, portanto vale abusar de novos formatos, tipografia imponente, direção e fotografia ousada.

A criatividade de Diana Orving vai além da produção de roupas. Toda temporada, em desfiles de moda que aparecem peças de teatro, ela convida seu público para uma viagem emocional. Desenvolve narrativas detalhadas que se desenrolam com cada peça de sua coleção, enfatizando a importância da integração completa do design gráfico à sua prática. Veja o resultado no projeto de Johan Hjerpe.

E aí, qual projeto gráfico você incluiria nesta lista?

Clique aqui para comentar ( )