Design

Uniforme da seleção canarinho de 2014: muito mais do que um “pedaço de pano”!

Julgados como bonitos ou feios, arrojados ou cafonas, os uniformes dos jogadores das seleções de futebol ultrapassam conceitos meramente visuais e se tornam um produto com um desenvolvimento altamente meticuloso e específico para o fim. Por detrás da criação e desenvolvimento da famosa camisa canarinho da seleção brasileira de futebol, por exemplo, há muita pesquisa e estudos para resultar em um símbolo de uma nação. No nosso caso, a Nike é a responsável pelo desenvolvimento do conjunto de uniformes, que, inclusive, foi ranqueado em primeiro lugar como o Top da Copa de 2014, segundo o site Mashable, deixando o da Espanha na segunda colocação.

Uniformes Seleção Brasileira

Uniformes Seleção Brasileira – Fonte: Nike

Convido vocês para adentrarem pelas tramas que constroem o uniforme da seleção brasileira e entender melhor como ele foi concebido a partir de um design estratégico.

A Nike iniciou o processo a partir de um briefing com os jogadores brasileiros, com o intuito de reproduzir a cultura do povo brasileiro e as reais necessidades dos mais interessados nos uniformes. O resultado são peças cheias de detalhes: a gola em Y, no lugar da gola polo, foi resultado do desejo dos jogadores de ter uma gola aberta, com um estilo simples e despojado. A inscrição “Brasil” no escudo foi retirada, uma vez que os designers julgaram que todos sabem que a “Amarelinha é a segunda pele do Brasil”; além disso, o escudo se tornou maior e recebeu uma costura em ouro metálico, para dar um efeito reluzente e forte à representação da nação.

A inscrição “Nascido para jogar futebol” na parte interna da camisa, permanece. O designer carioca Bruno Big criou uma arte exclusiva de um canarinho para estampar a parte superior e interna da camisa. Até as letras dos nomes dos jogadores e dos números foram inspiradas em fontes utilizadas em pôsteres e cartazes espalhados nas ruas do Brasil.

Uniforme Amarelo - Fonte: Nike

Uniforme Amarelo – Fonte: Nike

No segundo uniforme, o azul, os designers buscaram a inspiração nas sensações de energia e movimento do litoral brasileiro, para criação do mix de faixas horizontais em dois tons de azul, e que são constituídas por microcírculos e losangos fazendo alusão à bandeira brasileira. Tem, ainda, um terceiro uniforme – verde escuro com shorts listrados – que será utilizado apenas em alguns treinamentos.

Uniforme Azul - Fonte: Nike

Uniforme Azul – Fonte: Nike

Cabe ressaltar que a ergonomia esteve sempre presente; o biotipo de cada jogador foi levado em consideração, produzindo uniformes praticamente sob medida, uma vez que a maioria deles tiveram seus corpos escaneados, para ter uma melhor precisão dos tamanhos. Fizeram também uma varredura detalhada das partes do corpo que os jogadores mais suam, resultando no processo de microcortes a laser – na área vertical e lateral da blusa que vai da axila até o quadril – para ventilação adequada. Além disso, reforçaram as áreas onde os jogadores fazem mais força e possuem maior atrito – como peito, ombro e pernas – proporcionando uma maior elasticidade, por exemplo.

Segundo a Nike, o uniforme visa, também, levantar a bandeira da sustentabilidade em sua execução. As peças são feitas a partir de um mix de poliéster reciclado com algodão orgânico; para cada conjunto de uniforme – incluindo as meias – são usadas 18 garrafas plásticas. Os uniformes possuem a tecnologia Dri-Fit que “extrai” o suor do corpo para fora do tecido, possibilitando uma evaporação mais rápida.

Ufa! Tanto detalhe. Viram como desenvolver um uniforme de futebol é de extrema precisão, também?! Então, vamos vestir a camisa e torcer por um Brasil melhor dentro e fora de campo.

 

Fontes: Nike e Revista Exame

Clique aqui para comentar ( )