capa_tamanho
Design

Vale a pena trabalhar de graça?

Foto por Roman Drits

Fala criativos!

Hoje gostaria de por lenha na fogueira de uma discussão muito antiga sobre se devemos ou não trabalhar de graça. De fato, acredito que você provavelmente já se viu nesta encruzilhada tendo que tomar tal decisão. A grande verdade é que isso vai acontecer durante toda a vida de um profissional criativo, independentemente da sua idade e habilidade no ofício, mesmo grandes mestres estão sujeitos a tal dilema.

Sempre que me vejo nessa posição, acredito que a melhor maneira de tomar uma decisão é avaliando a situação a partir de categorias de trabalho. Então vamos fazer aqui um breve exercício de definições:

Trabalho (na definição do dicionário Michaelis)

tra.ba.lho

sm (baixo-lat tripaliu)

1 Ato ou efeito de trabalhar. 2 Exercício material ou intelectual para fazer ou conseguir alguma coisa; ocupação em alguma obra ou ministério. 3 Esforço, labutação, lida, luta. 4 Aplicação da atividade humana a qualquer exercício de caráter físico ou intelectual.

Na minha percepção, o segundo significado apresentado é o que representa melhor o que vemos hoje como trabalho. No entanto, a partir de que esforço passa a ser trabalho? O que é preciso se ganhar em troca para ser considerado trabalho?  Aqui vão 6 categorias que costumo incluir meus projetos e me ajudaram muito a ver se um projeto vale a pena o esforço ou se este deve ser passado adiante.

2016-03-01-roman-drits-barnimages-001

Trabalho Comum

Exercício do seu ofício visando uma compensação financeira pelo mesmo. Aqui não faz diferença se você é empregado, freelancer ou empreendedor, o que importa é se você está recebendo financeiramente pelo que faz. Valor esse que deve estar de acordo com suas expectativas e média de mercado, caso contrário seu trabalho deve ser categorizado em uma das próximas definições.

20160219-barnimages-04

Trabalho para Portfólio

Exercício do seu ofício visando ganhar experiência e visibilidade a longo prazo. Acredito que todos nós já estivemos aqui, atire a primeira pedra quem nunca fez um ou mais projetos para conseguir experiência na área e reconhecimento para conseguir trabalhos pagos, todo o iniciante passa por isso. Assim como muitos profissionais mais experientes continuam realizando essa prática como forma de reformar e melhorar seu portfólio ou para atrair outros clientes diferentes do seus atuais. Muitas vezes, os trabalhos para portfólio, mesmo tendo pouco retorno financeiro ou nenhum a curto prazo, acabam sendo nossos melhores trabalhos pois sofrem menos pressão de prazos e orçamentos, portanto, afloram criatividade e inovação.

2015-12-15-barnimages-001

Trabalho Voluntário (na definição do Guia Trabalhista)

O trabalho voluntário é definido pela Lei 9.608/1998 como a atividade não remunerada prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza, ou a instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade.

Além do que foi dito na definição acima, acrescentaria que a satisfação de ajudar uma causa em que se acredita é imensurável, além de uma ótima oportunidade para conhecer novas pessoas e ter novas experiências. É claro que é necessário sempre balancear o seu trabalho voluntário com o trabalho comum, pois assim como todo mundo, também precisamos pagar as contas.

barnimages-letter-1

Trabalho para a Família e Amigos próximos

Esse é um clássico, talvez um dos trabalhos que dão mais dor de cabeça são os que envolvem a sua família e amigos, digo isso pois muitas vezes queremos agradar nossos entes queridos se dispondo a trabalhar para eles, mas ficamos confusos em como lidar com a demanda, se devemos cobrar e quanto. Para evitar problemas, é sempre bom colocar as coisas em perspectiva, pergunte-se:

  • Isso é ou será prioridade na minha agenda atual?
  • Quanto tempo isso vai me tomar? Tenho esse tempo disponível?
  • Quais gastos, fora a hora de trabalho, vou ter nesse projeto? Vale o investimento?
  • Poderia incrementar meu portfólio e / ou gerar indicações?

Caso a maior parte dessas perguntas seja respondida de forma negativa, questione-se e seja sincero.

2016-04-26-roman-drits-barnimages-001

Favores

Na minha definição, favor é tudo aquilo que pode ser feito num espaço de 30 minutos, acima disso passa a ser categorizado como um dos tipos de trabalho. Favor deve ser algo simples, porém simples para quem já faz isso há anos, por exemplo: Quando seu amigo lhe pede para converter alguns arquivos em PDF para JPEG. Mas cuidado, o trabalho de graça muitas vezes surge disfarçado de favor quando ele exige mais tempo e esforço do que o proposto.

2016-02-29-roman-drits-barnimages-001

Afinal: O que é o Trabalho de Graça?

O maior problema do trabalho de graça é identificá-lo, como falei antes, às vezes ele vem disfarçado de favor e vai crescendo aos pouquinhos, quanto você vê ele já está tomando um tempo essencial da sua agenda. Tenha em mente que o trabalho de graça é aquele que não o beneficia em termos de portfólio, não lhe dá visibilidade, não gera indicação, não ajuda uma causa que você acredita, não gera compensação financeira e não traz nenhum tipo de satisfação. Fatores que contribuem para a existência do trabalho de graça vão desde pressão social até a falta de foco. Portanto, preste muita atenção em toda e qualquer conversa / reunião de projetos, saiba onde você está se metendo e caso tenha dúvidas, sempre consulte um profissional mais experiente da sua área, às vezes é bom ter uma opinião de alguém de fora.

Respondendo o título da postagem: Não, você não deveria trabalhar de graça. Tente sempre avaliar as propostas e projetos que recebe, evite assumir compromissos e cair em situações que o forcem a perder tempo, pois diferente de dinheiro e bens materiais, esse nunca mais volta.

Se você tem alguma história ou dica para acrescentar, fique a vontade para comentar e compartilhar esse post, um grande abraço!

Clique aqui para comentar ( )